sexta-feira, 26 de outubro de 2018

segunda-feira, 24 de setembro de 2018

A dança das reticências



Seres estranhos de planetas desconhecidos (nº 2)

Siriri de Jabaculéba: habitou a galáxia de Zuninim 45-XZK, em diversos planetas, entre eles o famoso Candraco Assu. Extinto no ano de 9.567.890 a.G (antes de Guzimauro Souza). 

Uma minhoquinha orelhuda cheia de dedos, olhos profundos e aparelho nos dentes, diria um desavisado terrestre de nossa era, mas não é nada disso. O cérebro humano de nossa era não tem vibrações suficientes para compreender esse tipo de vida. E nosso idioma português-brasileiro não tem sonoridade, sílabas, fonemas e intonações para explicá-lo através de palavras.

O Siriri de Jabaculéba só se alimentava de Petrônios-beta, uma espécie de similar do cogumelo de nossa era terrestre. Toda refeição que fazia era seguida de alucinações extremamente prazerosas. 


(para ver o outro ser dessa série clique AQUI)

Rascunhos





segunda-feira, 17 de setembro de 2018

sábado, 15 de setembro de 2018

Cartas para Angola

Cartaz para o Cine Multiverso

Rascunhos sobre Distopia

Desenho q fiz pra série de videos Rascunhos sobre Distopia com meu amigo Gabriel Barcelos no canal Ensaio Geral que você poder ver AQUI.

quinta-feira, 13 de setembro de 2018

muito esquisito

deve ser muito esquisito ser Deus

pensa só

cê tá lá

de boa

daí de repente tu resolve inventar a porra toda

e criar um monte de gente à sua imagem e semelhança

pensa só

né não?

depois fica observando todo mundo

ajudando uns e punindo outros

dizaí

esquisito demais

num é?

certo

eu sei, pô

é esquisito pa caraio ser eu também

mortal

comer, cagar, sentir dor

ficar pensando pa caraio em tudo, raciocinando sobre a vida, ponderando, criticando, observando as contradições - esquisito demais isso

e ainda pensar sobre Deus e escrever coisas como essa

estranho, muito estranho também

mas ser Deus deve ser esquisito pá porra

terça-feira, 21 de agosto de 2018

terça-feira, 12 de junho de 2018

Hora da Canção!!!

A gasolina voltou
E eu estou tão feliz
Andando com meu carrinho
Contente pra lá e pra cá

A gasolina voltou
E eu estou tão contente
Agora eu tenho direito
Do ir e vir matinal

(Repete 3 vezes essa parte acima)

Fui resolver uns problemas
Lá no centro da cidade
Tive que descer do carro
Pra entrar num Itaú

Quase que caio no chão
Veja só que coisa louca
Tropecei umas seis vezes
Em gente que dorme na rua

Mas a gasolina voltou
E eu estou tão feliz
Andando com meu carrinho
Contente pra lá e pra cá

(Repete mais 10 vezes o refrão)
(Estou cotando Fagner pra gravar)

domingo, 29 de abril de 2018

pra sair do comodismo

sou um deficiente burocrático

não consigo lidar com inscrições, títulos, projetos, boletos, vias, segundas vias, ítens dos editais, os próprios editais, os anexos dos editais, diários oficiais, terceiras vias

sempre erro um troço

sempre falta uma coisa

sempre sou indeferido por uma comida de bola

daí ser mais cômodo vender gibi na rua

jogar clavas no semáforo

lidar com essa realidade cômoda

muito cômoda

e por falar em cômoda

eu tinha uma cômoda cheia dos documentos mais necessários pra minha vida em suas gavetas

meti fogo nela